Publicado em Deixe um comentário

Novos Módulos Tuya com ligação Zigbee e RF!

Os módulos para automação residencial vieram para ficar! Começaram por soluções ligadas diretamente ao Wi-Fi, mas rapidamente o Zigbee se tornou na solução ideal, poupando dezenas de acessos concorrentes nos sistemas Wi-Fi numa casa inteligente e potenciando a inclusão de sensores de portas e janelas, de presença, temperatura, etc…

Mas nem tudo são rosas!

É verdade, é longa a procura do sistema ideal e com uma boa relação qualidade / preço! Mas penso ter encontrado a melhor solução para a maioria das pessoas e agora com a possibilidade de ligação por Radiofrequencia em conjunto com o Zigbee!

Mas para que quero o RF se já tenho Zigbee?

Parece parvo de facto, se já tenho Zigbee terei um gateway e a comunicação simplificada, porquê adicionar RF? Simples! Porque abre o leque para novos dispositivos de controlo por RF e a vantagem de poder ser comandado por outros ecossistemas ou dispositivos genéricos RF sem ser Tuya!

Estores Inteligentes com “Telecomando”

Muitos me pedem: “Ricardo, tenho uns estores elétricos mas não tenho interrutor, o que posso fazer?”.  A solução é bem simples e acessível! 

Basta adicionar um Módulo para Estores Zigbee + RF junto ao motor de estore e adicionar um Controlo Remoto RF e dar instruções para subir, parar e descer! Vais poder comandar por aplicação, de qualquer parte do mundo, agendar abertura e fecho, por hora, local, estado do tempo, dia/noite e um sem fim de opções, e ainda ficar com controlo por Alexa e Google Home. E se porventura já tens um interruptor de estores, instalas o módulo por detrás do interruptor que tens (recomendo que seja um interruptor basculante) e podes usar o interruptor como sempre usaste, podes ainda querer usar o Controlo Remoto RF ou não! As possibilidades são imensas!

Mas… e as Luzes Inteligentes?

As luzes inteligentes também foram contempladas com esta função Zigbee + RF! Podes colocar módulos inteligentes por detrás dos teus interruptores e acabar com o “Caramba, deixei a luz ligada!”… Os módulos são muito mais interressantes do que lâmpadas inteligentes, porque estão sempre conectados, enquando as lâmpadas basta alguém desligar o interruptor e deixam de estar contactáveis!

Tens Módulos de Luzes Zigbee + RF para interruptores Simples para os interruptores de uma tecla, e tens Módulos de Luzes Zigbee + RF para interruptores Duplos, basta instalar por detrás, garantir que existe neutro, efetuar as ligações e está a andar! Os teus interruptores de sempre ficarão completamente funcionais!

Mas e o RF? Tal como nos estores podemos adicionar interruptores virtuais de “colar” na parede ou em locais estratégicos, e temos Interruptores RF de 1, 2 e 3 Teclas, dependendo do que queremos controlar.

Espera aí… Esqueceste o Dimming!

Não esqueci! Mas a verdade é que os módulos Dimming, ou seja, que permitem regulação de intensidade, tem Zigbee mas ainda não foram contemplados com a ligação RF! 

Por isso na oferta que temos na loja da AMCD temos Módulo Dimmer para Interruptor de 1 Tecla e Módulo Dimmer para Interruptor de 2 Teclas. Se quiseres usar um controlo remoto Zigbee, bem como Interruptores Virtuais Zigbee.

Conhece a Família Tuya Zigbee + RF!

Link: https://loja.aminhacasadigital.pt/produto-etiqueta/sistema-zigbee-rf/

Publicado em Deixe um comentário

ZIGBEE: UMA CASA INTELIGENTE COMEÇA POR AQUI…👌

Planear uma Smart Home é essencial, e o caminho começa por aqui!

Onde Comprar?

Kit Zigbee: https://bit.ly/amcdzigbeekit

Gateway Zigbee: https://bit.ly/amcdzigbeegat

Sensor Temperatura: https://bit.ly/amcdzigbeetemp

Sensor de Porta: https://bit.ly/amcdzigbeeporta

Sensor de Movimento: https://bit.ly/amcdzigbeemov

Comprar a Alexa: http://bit.ly/EchoDot4amcd

Publicado em 7 comentários

Shelly ou Tuya Smart Life?

Quando falamos em Ecossistema de Casa Inteligente, nos dias de hoje o nome óbvio a destacar, é para mim TUYA…

Vais precisar de colocar um Gateway Zigbee!

Como já expliquei em vários vídeos e escrevi em vários artigos, o ponto central de uma casa inteligente é o Gateway Zigbee, ele comunica com a rede Wi-Fi e depois via Zigbee vai ligar todos os dispositivos do tipo: Sensores de porta, movimento, temperatura, interruptores, módulos, dimmers, etc… isso vai reduzir o stress do número de ligações na rede Wi-Fi, tornando a casa Inteligente muito mais estável…

E porque não Shelly?

Tenho-me deparado com imensos fãs da marca Shelly, mas preocupa-me o número de pessoas que estão a recomendar esta tecnologia, por vários motivos:

A Shelly é muito utilizada por eletricistas, colocadores de estores e alguns makers. Isto é bom porque o acesso ao produto é fácil e conseguimos obter o produto em qualquer loja da especialidade. 

A Shelly é excelente para quem tem conhecimento em soluções opensource, por exemplo para quem quer implementar Home Assistant, ou seja, que foi sempre associado à comunidade maker e para isso é muito bom!

Por sua vez, construtores, eletricistas e colocadores de estores, com o acesso simplificado aos Shelly usam-no para tudo… Os clientes pedem a “Casa Inteligente” e então a casa inteligente é o caminho mais simples!

Mas o que é uma Casa Inteligente?

Na minha opinião uma casa inteligente não é uma casa que funcione apenas comandada por voz, ou que tenhas de pegar no smartphone para ligar uma luz, mas sim uma casa que reage automaticamente sem que tenhamos que pegar num smartphone, ou constantemente a falar com assistente! Ora para isto acontecer é necessário existir comunicação entre tudo e não faz sentido quando compras interruptores Sonoff, módulos Shelly e um Broadlink IR para comandar a TV… O certo é que tudo deve falar com uma app e concentrar o mais possível nessa app!

A ausência da tecnologia Zigbee na Shelly torna-se problemática na implementação de sensores. Todos o sensores são Wi-Fi, o tempo de reação do Wi-Fi em sensores (de todas as marcas) são terríveis, fora o alto consumo de baterias. Por isso a recomendação para sensores é que sejam Zigbee. O Zigbee é uma rede em malha, logo os dispositivos vão-se repetir entre si, chegando a locais onde o Wi-Fi não existe.

Um caso prático: Um sensor de porta que liga a luz quando abre a porta. Quando abres a porta o sensor Wi-Fi está “adormecido” logo acorda, tens de aguardar que se ligue à rede Wi-Fi para dar a instrução que a porta abriu… Quando a luz liga, já tu tens a porta fechada! Com Zigbee isto é instantâneo, a tecnologia Zigbee é de muito baixo consumo e permite que estas baterias durem até dois anos!

Isso significa que não uso Wi-Fi?

Claro que não! Apenas não recomendo que seja usado Wi-Fi para toda a casa Inteligente, especialmente em sensores, mas sempre que for possível usar Zigbee! O Wi-Fi pode e deve ser usado, mas com conta, peso e medida.

Mas e porquê Tuya?

O Zigbee é a solução usada pela maioria das marcas de Smart Home, nomeadamente pela gama Philips HUE, pelo Ecossistema Xiaomi, pela IKEA, até recentemente a Sonoff aderiu ao Zigbee, e quem me conhece sabe que nunca nutri especial afecto pela Sonoff!

Assim sendo escolhi a Tuya como Ecossistema por imensos motivos:

  • É o maior Ecossistema que existe atualmente.
  • Foi adoptado por imensas marcas das quais destaco a Zemismart, Nedis, Loratap, SPC e imensas sub-marcas da Tuya.
  • Possui conexões Wi-Fi, Zigbee, RF e Bluetooh.
  • Tem preços incríveis pois as marcas competem entre elas.
  • Todas as marcas são compatíveis pois partilham o mesmo ecossistema.
  • É compatível com Alexa, Google Home.
  • É compatível com Smartthings
  • Conseguimos comprar em Portugal e importar da China.
  • Tem um portfólio incrível que vai desde o sensor, ao módulo, interruptor, câmeras, video-porteiros, controles físicos de ar condicionado, piso radiante, caldeiras, radiadores… é um sem fim de opções.
  • Tomadas em formato Europeu e manuais em inglês.

E porque não Xiaomi?

Eu usei Xiaomi durante o arranque da minha primeira Smart Home, tenho imensos registos online em texto e vídeo.

A verdade é que a Xiaomi tem um ecossistema excelente na China, podemos usar o servidor Mainland China. Mas desde que abriu ao mercado europeu começaram a criar produtos que ou funcionam num servidor ou noutro, não existindo uma forma oficial de comunicar e criar regras entre os ambos servidores Português e Chinês.

Em alguns servidores a utilização da Alexa é problemática, por vezes impossível. Ao importar da China acabamos por ter de usar adaptadores para o formato Europeu que torna-se uma experiência desagradável.

Conclusão

Espero que com este artigo de opinião pessoal reflitas sobre a Casa Inteligente e sobre qual o melhor caminho a tomar. O número de apps que vais usar e a forma como elas vão comunicar entre si! Menos Ecossistemas = melhor para criar automações, quando mais alargado for o Ecossistema = mais possibilidades!

Publicado em Deixe um comentário

Dicas para começar uma Casa Inteligente!

Iniciar uma Casa Inteligente nos dias de hoje é uma tarefa fácil! Isto porque não faltam soluções rápidas para começar, seja uma lâmpada inteligente Wi-Fi, seja um interruptor inteligente, uns sensores sem fios, etc…

Mas por vezes tudo o que parece demasiado fácil pode não ter o final esperado, e quando o comum dos mortais se apercebe tem uma panóplia gigantesca de dispositivos Wi-Fi em casa, que não comunicam entre eles, e que usam apps diferentes, obrigando o utilizador a saltar de aplicação em aplicação. Muitos notam que o sinal de Wi-Fi se foi degradando…

Mas o que fazer para evitar todas estas situações?

1. Planeamento

Definir de forma básica o que gostariamos de automatizar na nossa casa. O que pode melhorar o dia-a-dia na nossa casa e na nossa família, trazendo mais qualidade de vida?! Uma casa inteligente pode trazer comodidades únicas e desde que bem configuradas deixamos de pensar nessas tarefas que fazíamos todos os dias!

Definir uma lista de prioridade. O que pretendo fazer primeiro? Automatizar estores? Cortinados? As luzes de casa? A video-vigilancia? O portão da garagem?

Definir um Orçamento por rúbrica. É importante definir um orçamento médio para que o plano não se torne num pesadelo. E para que de projeto em projeto se tenha noção dos custos.

Quem vai implementar? Tipicamente gostamos muito do faça você mesmo (DIY), no canal do Youtube ensino como implementar e como digo: “Se eu consigo tu também consegues! Pois eu não percebo nada de eletricidade!” Contudo em caso de insegurança ou dúvidas recomendo a falar com um profissional ou com um amigo ou familiar com as skills para instalar dispositivos.

2. Definir a Tecnologia a implementar

Este é o ponto mais importante de todos! Para começar, interessa começar bem! E isso é essencial para um projeto de sucesso!

Depois de ter passado por diversas casas, ter tornado inteligentes todas elas e aprendido com os meus próprios passos, concluí que o caminho certo é o Zigbee. Conforme indiquei na introdução, tipicamente colocamos tudo Wi-Fi porque é o caminho mais simples e o que que existe mais em oferta, mas à medida que adicionamos mais um interruptor, lâmpada ou sensor a nossa ligação Wi-Fi do nosso router doméstico vai-se repartindo com as dezenas de coisas instaladas, degradando o sinal e a qualidade de acesso à internet.

Por isso recomendo a separar, sempre que possível a nossa automação usando um Gateway Zigbee. Mas o que é um Gateway Zigbee? Nada de muito complicado! É um dispositivo que ligas na tua rede Wi-Fi que vai permitir ligar a ele todos os módulos, interruptores, sensores e muita coisa que possas imaginar, ora isso cria uma rede própria para a casa inteligente, permitindo que tudo comunique com o Gateway Zigbee este comunique com a tua rede Wi-Fi sem saturar a mesma!

Um gateway Zigbee suporta tipicamente até 40 dispositivos ligados, e a grande vantagem é que funcionam em Mesh, ou seja, vão repetindo o sinal entre eles permitindo levar a casa inteligente a lugares mesmo onde não há cobertura Wi-Fi. Se vamos deixar de usar o Wi-Fi, não vamos, mas onde puderes usar Zigbee recomendo que o faças!

3. Escolher o Ecossistema

O Ecossistema é basicamente a(s) marca(s) e a app que pretendes usar! Dependendo do projeto que definiste acima o ecossistema deve responder como um todo, não faz sentido usar mais que uma ou duas apps para gerir automações.

Após ter passado por vários ecossistemas, a base aqui na minha casa digital é Tuya. E porquê Tuya? No meu caso, foi a que respondeu a todos desafios e que possui a oferta mais completa, a bons preços, que permite a integração de várias marcas no mesmo ecossistema. Encontra-se no mercado nacional, bem como aqui na loja online da AMCD, e também importando de lugares como o Aliexpress, Banggood, etc…

3. Escolher uma Assistente Virtual

Uma assistente virtual, vai ajudar-te a naquelas tarefas não programadas, e que com uma ordem por voz, vai executar uma série de acções. Uma assistente virtual não tem de ser especificamente um dispositivo, seja ele um Echo Dot ou um Google Nest mini espalhado pela casa. Recomendo que antes de se tomar a decisão se instale a app de cada um: Alexa e Google Home, configurar os dispositivos em ambas e testar, pois ambas respondem como um dispositivo de espalhar pela casa! A minha opção foi pela Alexa, pois é claramente a mais madura e com rotinas mais evoluídas, mas isso não invalida que não use as outras assistentes, incluíndo a Siri! Claramente deixo este ponto para o gosto de cada um!